sábado, 8 de março de 2014

O Recife e suas singularidades geográficas

Praça do Marco Zero no Bairro do Recife
O Recife é uma cidade com singularidades geográficas e experiências históricas interessantes. No início, era apenas um porto em um povoado (habitado por pescadores, marinheiros e mercadores) ligado por um istmo à Vila de Olinda. Atualmente é uma grande metrópole, cujos efeitos da modernização não romperam a forte relação da cidade com o seu passado e a sua Geografia.

Mapa do Porto do Recife em 1630

A cidade Anfíbia

A cidade está situada sobre uma planície aluvional (fluviomarinha) circundada por colinas em arco (morros com altitudes variadas que se prolongam desde Olinda, ao Norte, até Jaboatão dos Guararapes, ao Sul), seu litoral é guarnecido por extensos cordões de arenito (arrecifes) e os rios que cortam o seu território lhe conferem características peculiares.

Vista aérea da planície, da foz do rio Capibaribe e dos arrecifes

Com relação ao espaço natural sobre o qual se desenvolveu o Recife, Josué de Castro faz uma descrição bastante interessante: “Planície constituída de ilhas, penínsulas, alagados, mangues e pauis, envolvidos pelos braços d’água dos rios que, rompendo passagem através da cinta sedimentar das colinas, se espraiam remansosos pela planície inundável. Foi nesses bancos de solo ainda mal consolidados – mistura ainda incerta de terra e de água – que nasceu e cresceu a cidade do Recife, chamada de cidade anfíbia, como Amsterdã e Veneza, porque assenta as massas de sua construção quase dentro de água, aparecendo numa perspectiva aérea, com seus diferentes bairros flutuando esquecidos à flor das águas".

A Geografia no nome da cidade

Marco indicador das coordenadas
geográficas do Recife (Praça do Marco Zero)
Segundo José Antônio Gonsalves de Mello, em O Recife e os arrecifes, “a palavra arrecife é a forma mais antiga do vocábulo recife e que ambos procedem do árabe, ar-raçif, que significa calçada, caminho pavimentado, linha de escolhos, dique, paredão, muralha, cais, molhe. No antigo Castelhano arrecife tinha o sentido de caminho, banco ou baixo mar”.

Um vez que se originou de um acidente geográfico – o recife ou o arrecife - a forma correta necessita do uso do artigo definido masculino: O Recife e nunca Recife. Por isso no Recife, para o Recife e não em Recife, para Recife.

Geografia e História: rios e pontes

Pontes do centro da cidade
Sua configuração geográfica (entrecortada por rios), aliada ao forte diálogo com o seu passado, faz das suas pontes elementos importantes da paisagem e símbolos afetivos da cidade. Abaixo, um pouco sobre as pontes do centro da cidade.





Um comentário: